promoção do envento memórias de ciência

 

Factos e curiosidades…

Luís Ernani Dias Amado (1901-1981) foi um investigador e médico português que dedicou a sua vida à investigação científica e à militância civil. Discípulo da «Geração de 1911» foi também político, lutador antifascista, democrata republicano e mação, atividades que desenvolveu num período difícil da história contemporânea, entre os anos 30 e o pós-25 de abril.

Este arquivo integrou o acervo do ACT por doação de sua filha Luísa Irene Dias Amado. Embora pequeno em dimensão, permite-nos o reconhecimento dos dois grandes domínios em que se moveu, a ciência e a ação política, mas também de alguns aspetos da sua vida pessoal e familiar. É este acervo que agora disponibilizamos ao público e que pode consultar no catálogo em linha do ACT bem como a sua produção científica que foi integrada e catalogada na Biblioteca da FCT.

Convidamo-lo ainda a conhecer mais sobre o perfil biográfico deste investigador português, no artigo que publicamos este mês, assim como o Registo de Autoridade Arquivística que o descreve enquanto produtor do seu arquivo.

 

 

Destaques

«Interface à Ciência: adicionar valor ao conhecimento»
O 2º encontro de gestores, comunicadores e outros profissionais ligados à Ciência em Portugal, realiza-se no próximo dia 2 de março no Teatro Thalia, em Lisboa. O objetivo do encontro é a reflexão sobre as áreas de interface e a sua contribuição para o desenvolvimento do sistema nacional de investigação e inovação, sendo apresentada uma palestra sobre alternativas para o atual sistema de financiamento à investigação.

 

Colecionismo: modus operandi, 1900-1950
Por ocasião dos 50 anos da abertura ao público do Museu Calouste Gulbenkian e da Biblioteca de Arte, irá realizar-se uma conferência de 14 a 16 de fevereiro de 2019, para a qual está a decorrer, até 15 de março, o convite à apresentação de comunicações. Centrando-se na figura de Calouste Gulbenkian, mas procurando ultrapassar os episódios biográficos, as comunicações devem refletir de «forma inovadora sobre como operavam os colecionadores, as suas redes de conhecimentos, e a relação que tinham com as suas colecções».

 

livrosHemeroteca Municipal: aprendizagem não formal
No ciclo de aprendizagem não formal da Hemeroteca Digital insere-se um conjunto de sessões dedicadas às Bibliotecas Digitais que se intitula «Do fazer ao utilizar: pesquisa e recuperação de informação nas Bibliotecas Digitais». Dália Guerreiro, da Universidade de Évora, é a formadora deste conjunto de sessões, que se estende até abril, sobre colecções digitais, o seu contexto e desenvolvimento. Este mês decorre no dia 20 e a entrada é gratuita mediante inscrição prévia.